Vale_a_pena_fazer_um_seguro_de_cargas.jpg.jpeg

Os profissionais que trabalham com transporte de cargas correm muitos riscos relacionados aos perigos comuns da atividade, como acidentes e assaltos nas estradas. Dessa forma, surge a dúvida: vale a pena fazer um seguro de cargas? Como ele funciona? 

O seguro é uma garantia contra possíveis perdas que uma empresa venha a sofrer. Por isso, é importante informar-se mais sobre ele e saber quais as opções disponíveis. Leia o post e tire suas dúvidas!

Tipos de seguros para transporte rodoviário

Seguro de Riscos Rodoviários

Faz cobertura por possíveis prejuízos em razão de acidentes e outros problemas com o transporte de mercadorias.

Seguro de Transporte Nacional

É obrigatório e cobre os riscos em geral a que as mercadorias estão sujeitas. O segurado pode ser empresa de direito público ou privado (caminhões próprios ou transportadoras contratadas).

RCTR-C

Trata-se do Seguro de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Cargas, é obrigatório e cobre prejuízos causados às mercadorias em acidentes (colisões, abalroamentos, explosões, tombamentos, capotagens ou incêndios).

RCF-DC

É o Seguro de Responsabilidade Civil Facultativo por Desaparecimento de Cargas. Oferece coberturas para roubos/desparecimentos de cargas (assaltos, sequestros, estelionato, extorsão, furto simples ou qualificado).

Além desses, há os seguros para transporte internacional de cargas e de mercadorias importadas.

Diferentes coberturas

A escolha do seguro deve considerar a cobertura que ele oferece. Há muitos tipos de cargas, embalagens e transportes, nível de perecibilidade, índice de sinistralidade (mede o quanto da receita está disponível para pagamento de sinistros: quanto menor o valor, menor a taxa de seguro).

  • Ampla A: segura contra a totalidade de riscos aos quais a mercadoria está sujeita (capotamentos, tombamentos, colisões, incêndios, explosões, extravios de itens, assaltos) além das despesas necessárias, avarias menores, reembolso de cargas.
  • Restrita B: garante contra danos em casos específicos (acidentes comuns, inundações, terremotos, custos judicias e outras coisas); mas, se a culpa for do segurado ou de seus empregados (ou se ele estiver inadimplente), a indenização não é realizada.
  • Restrita C: engloba todos os riscos da modalidade anterior, excetuando-se roubo, desaparecimento de carga e determinadas avarias particulares.

Dependendo da seguradora serão ofertadas diferentes modalidades de seguros com coberturas específicas. Informe-se sobre elas antes de contratar o seguro.

Como contratar o seguro?

Com o desenvolvimento digital, já é possível contratar seguros através da internet, sem a necessidade de deslocamento até a sede física da seguradora. Deve-se acessar o site da seguradora, fazer um cadastro e tomar cuidado com o preenchimento de algumas informações:

  • Dados sobre o embarque: tipo e valor da mercadoria, tipo de veiculo, origem e destino da viagem, data de despacho, etc.
  • Cobertura desejada: confira as opções e escolha a que mais convém no momento.
  • Pagamento: deve ser efetuado antes do embarque da mercadoria; confira as tarifas e opções que a seguradora oferece.

Vantagens do seguro de cargas

É desnecessário falar sobre as vantagens que tal seguro de cargas oferece. É uma garantia contra roubos, perdas e acidentes em diferentes níveis de risco/periculosidade. O segredo está no tipo de cobertura.

Além da certeza do ressarcimento, cobrindo os prejuízos, o seguro de cargas dá maior credibilidade à empresa. Ou seja, é uma forma de valorizar a própria empresa e aumentar a quantidade de clientes e demandas. O quesito segurança é, certamente, o mais considerado no transporte de cargas (a maioria dos clientes está disposta a pagar mais desde que seja oferecida segurança adequada).

Já fez um seguro de cargas? Que modalidade prefere? Quais os tipos de cobertura que mais contrata? Deixe seu comentário!

Deixe um comentário