O guia Deva para caminhoneiros

o-guia-deva-para-caminhoneiros1045

Quando falamos do Brasil, é preciso pensar grande sempre. Afinal, estamos em um país com mais de 8 milhões de quilômetros quadrados, onde vivem quase 205 milhões de pessoas das mais variadas origens. Por ano, produzimos mais de R$ 12 trilhões em produtos e serviços, que são destinados ao consumo interno e à exportação. Para transportar cerca de 60% desse montante, há 3,2 milhões de caminhões que, segundo a Agência Nacional de Transporte Rodoviário, compõem a frota nacional.

Claro, como responsável por movimentar parte de toda esta grandeza, atrás do volante de um caminhão há sempre um caminhoneiro. Responsável por cumprir um papel econômico e social fundamental para o nosso país, o caminhoneiro também é aquele sujeito que busca na estrada a forma de ganhar a vida com dignidade, em uma profissão cheia de desafios e de alegrias.

Para essa empreitada, que leva às aventuras e às boas amizades que são vividas nos 4 cantos do país, mas que também expõem o profissional a muitos riscos e dificuldades, o caminhoneiro deve estar sempre bem preparado.

Para ajudar nessa missão, elaboramos o guia Deva para caminhoneiros, que traz uma série de recomendações muito úteis para o seu dia a dia ao volante. Confira!

A saúde do caminhoneiro

Nosso primeiro assunto é a sua saúde. Afinal, de nada adianta você ter um caminhão em ordem, encontrar ótimos fretes e, de vez em quando, achar um tempo para passar com a família ou para um bom papo com os amigos se a saúde não estiver em ordem. Para isso, além de consultar periodicamente com um médico e fazer aqueles exames de rotina que ele sempre pede, é bom ficar de olho em alguns sinais que o corpo dá.

Considerando que é na cabine do caminhão que você passa a maior parte do seu tempo, é bem possível que esses sinais apareçam durante o trabalho. Portanto, fique atento para tudo o que você vivencia no seu dia a dia ao volante.

Os principais problemas

Na estrada você se expõe ao estresse da direção, às variações do clima e da temperatura, ao barulho, a gases que o caminhão emite e a todos os tipos de doenças que se espalham pelos tantos lugares do Brasil. Ainda, é preciso lembrar que alguns caminhoneiros adquirem maus hábitos, como a má alimentação, o uso de cigarros e de drogas, o abuso de bebidas, a privação de sono e o excesso de trabalho.

Somando tudo isso, os especialistas em medicina do trabalho indicam que, em função da forma de vida que leva, o caminhoneiro pode desenvolver uma série de doenças, como a hipertensão arterial, alterações no colesterol e nos triglicérides, doenças respiratórias e cardiovasculares e muito mais. Ao mesmo tempo, em função das características da profissão, os médicos também falam sobre a possibilidade do desenvolvimento das chamadas doenças ocupacionais, que são aquelas normalmente associadas a determinados tipos de trabalho.

No caso dos caminhoneiros, é comum o profissional desenvolver problemas auditivos, dores musculares, problemas na coluna, varizes, inflamações nos tendões, entre outros males que estão associados à posição de dirigir, aos ruídos, à poluição e ao tempo que se passa na direção, entre outros fatores característicos da atividade.

Mas, os riscos para a saúde do caminhoneiro não ficam por aí. Além do já mencionado estresse natural da direção, o motorista também fica exposto às imposições dos prazos, à preocupação com os acidentes e com os assaltos, às cobranças das transportadoras e à falta de liberdade para fazer o que deseja e para conviver com a família, o que, além de prejudicar a saúde física, também afeta a saúde mental.

A prevenção desses problemas

Por tudo isso, você deve se cuidar o tempo todo, o que pode ser feito sem muito esforço.

Por exemplo: você pode começar por fazer caminhadas durante as paradas. Simples assim. Segundo os especialistas, se você caminhar 30 minutos por dia já é suficiente para começar a experimentar uma melhora na condição física. Ainda, é importante fazer as paradas para a necessária esticada de corpo, que tanto ajuda na circulação. Aliás, quando for esticar o corpo, faça isso de verdade, aproveitando as paradas para fazer exercícios de alongamento, que podem prevenir muitos problemas e evitar dores.

Naturalmente, quando o corpo começa a se exercitar, outras necessidades vão se tornando mais nítidas e acabam ajudando a pessoa a entender que é preciso parar de fumar, ficar longe das drogas, não beber e cuidar para ter uma alimentação saudável, o que também é essencial para a manutenção da sua saúde.

Por falar em alimentação, é bom ressaltar que a obesidade também é um mal que ataca muitos caminhoneiros e que pode comprometer a sua saúde, se você estiver nesse caminho. O ideal seria consultar um nutricionista que pudesse indicar uma dieta saudável para o seu perfil. Se isso não for possível de imediato, tome algumas atitudes básicas, como evitar gordura, refrigerante e produtos industrializados. Procure ainda manter uma alimentação regular, pelo menos a cada 3 horas.

Estudos já comprovaram que se o corpo não recebe alimentos em períodos regulares ele acaba retendo gordura para fazer uma reserva, o que leva muitas pessoas que não comem direito a engordar.

Também, procure beber bastante água. O ideal é ingerir em torno de 35 mililitros por quilo de peso. Ou seja, se você pesa 80 quilos, o ideal é beber pelo menos 2,8 litros de água por dia, o que pode aumentar, dependendo das condições do tempo.

Você também pode tomar outros cuidados preventivos muito simples, que podem melhorar as suas condições de saúde e evitar doenças. Procure se vacinar contras as doenças que existem no Brasil, mantenha as melhores condições da higiene pessoal e da cabine, previna-se em relação às doenças sexualmente transmissíveis, faça paradas programadas para descansar e para ter boas noites de sono e nunca coloque a pressa acima da sua saúde.

Segurança na estrada

A pressa

E por falar em pressa, é preciso dizer que ela é uma grande inimiga da segurança do caminhoneiro. Muita gente confunde eficiência e agilidade na execução de tarefas com a pressa em fazer as coisas. Na verdade, a pressa acaba surgindo quando não há planejamento adequado para o que precisa ser feito e é justamente o planejamento que leva à eficiência e à agilidade, que permitem que uma tarefa seja realizada com a rapidez necessária, alcançando os resultados desejados.

Ou seja, a pressa também é inimiga da eficiência e da agilidade.

É verdade que os prazos que os fretes impõem muitas vezes criam grande pressão sobre o caminhoneiro, que acaba pisando mais do que deveria no acelerador, tentando cumprir as exigências. Contudo, esse erro pode ser minimizado ou até evitado por completo se você planejar a sua viagem, procurando prever tudo do princípio ao fim.

Em muitos casos, apoiado por uma pesquisa que pode ser feita pela internet e consultando os companheiros de estrada, o planejamento levará você a buscar rotas alternativas, evitando os pontos de retenção do trânsito que tanto atrasam a viagem. Você também poderá desviar dos trechos perigosos e da pista ruim, ao mesmo tempo em que terá como programar as paradas de maneira mais conveniente, evitando os atrasos com paradas improvisadas.

Planejando você terá mais controle sobre o trajeto que percorrerá, o que contribui bastante para que a pressa seja substituída pela eficiência e pela agilidade na direção.

A direção defensiva

Vale considerar que o planejamento já é o primeiro passo para que o caminhoneiro aplique a direção defensiva, que é tão importante para evitar acidentes. O motorista que planeja está sempre buscando antecipar os fatos e cria predisposição para agir de maneira cautelosa na direção.

Esse é mesmo motorista que dirige nos limites impostos pela rodovia, atento para os outros veículos e para as condições da estrada, que trafega com a carga bem embalada, bem distribuída e dentro dos limites do veículo. Caminhoneiros que agem desta forma também cuidam das condições físicas do caminhão, prevenindo falhas mecânicas, defeitos nos faróis, nos freios, na suspensão ou quaisquer outros problemas que possam prejudicar a direção e causar acidentes.

Da mesma maneira como foi dito quando o assunto era a sua saúde, falando sobre segurança, mais uma vez temos que lembrar a necessidade do sono e do descanso adequados, que são fundamentais para que você mantenha a atenção na estrada. Grande parte dos acidentes acontece por que o motorista dormiu no volante ou porque não conseguiu reagir a tempo diante de um imprevisto.

O ideal é você dormir pelo menos 8 horas por noite, para que a atenção seja mantida. Também é importante fazer paradas programadas para o descanso a cada 3 horas durante o dia e a cada 2 horas durante a noite.

Os roubos

Contudo, nem só os possíveis acidentes colocam em risco a segurança do caminhoneiro nas estradas. Também é preciso ficar atento para as possibilidades de roubos de carga e do próprio caminhão e tomar atitudes de precaução. Afinal, um caminhão que recebe uma manutenção preventiva adequada tem chances muito menores de parar de maneira não programada em função de quebras, o que pode acontecer em locais apropriados para a ação dos bandidos.

O motorista prevenido também age com cautela nas paradas, permanecendo alerta para tudo o que se passa à volta, e também se mantém atento às condições dos locais onde vai pernoitar, descansar ou se alimentar, evitando postos mal iluminados ou sem pessoal suficiente que ajude na vigilância do caminhão

Por fim, vale destacar que adotar sistemas de monitoramento à distância, que permitem que as rotas sejam acompanhadas, podem evitar situações de risco, garantindo a segurança do motorista, do caminhão e da carga.

Gestão financeira e direção econômica

O caminhão é a empresa do caminhoneiro. Ele não só fornece os meios de sustento do profissional e de sua família como também exige recursos para que continue rodando. Assim como acontece com qualquer diretor de empresa, na direção do caminhão o caminhoneiro encontra os desafios financeiros próprios da atividade, que precisam ser superados para que ela se mantenha produtiva. Nesse sentido, adotar medidas de dirigir com economia e a controlar as finanças pessoais e do caminhão é essencial.

Economia na estrada

Quando você calibra os pneus corretamente, quando distribui a carga da melhor maneira e de acordo com os limites do seu caminhão, você já está tomando medidas de direção econômica, que contribuem para economizar combustível e para evitar o desgaste anormal do veículo. Afinal, os pneus bem calibrados oferecem as melhores condições de aderência e evitam o atrito anormal com o asfalto, evitando também que o caminhão queime mais combustível. A carga bem distribuída e dentro dos limites favorece o aproveitamento do torque do motor que, vale dizer, deve ser bem conhecido pelo motorista para ser aproveitado da melhor forma possível.

Saber combinar o torque com as exigências da estrada é um segredo do bom motorista, que permite aproveitar a inércia do caminhão quando ela for favorável e saber dominá-la quando ela for negativa. Assim, em trechos de descida ou planos, é preciso saber qual a marcha mais conveniente para ser usada, que permitirá ao caminhão rodar com segurança, mas de forma mais livre e econômica.

Já nas subidas, é preciso engatar as marchas corretamente, não permitindo que o caminhão perca o embalo adquirido antes do início da subida e também não exigindo que ele ganhe velocidade em situação desfavorável. Nesse ponto, é importante observar que o mais correto é usar a inteligência e a habilidade na direção, no lugar de aumentar a velocidade excessivamente, antes da subida começar.

Para trabalhar de maneira correta com o caminhão nas subidas, outro segredo que ajuda bastante na economia de combustível é saber pular marchas. Por exemplo: se você estiver de sexta e sabe que em uma redução na subida a quinta não vai fazer diferença, espere um pouco mais para engatar logo a quarta. Aja assim em todas as mudanças de marchas, o que é muito mais proveitoso do que ficar trocando uma a uma, até chegar à marcha certa.

Basta aliviar o pé e manter a atenção para a temperatura até o momento da troca. Assim, você evita pedaladas desnecessárias na embreagem, ganhando tempo entre as trocas, e favorece o aproveitamento do torque.

Mais uma dica importante, tanto para a economia de combustível, quanto para a segurança da viagem, diz respeito à velocidade, que deve ser adequada ao trecho. O pé pesado no acelerador é sinônimo de aumento de consumo. Por exemplo, em determinadas situações, um caminhão pode gastar 12% de combustível a mais rodando a 90 quilômetros por hora do que gastaria se estivesse a 80.

Por fim, é sempre bom lembrar que aquelas aceleradas entre as marchas só servem para aumentar o consumo de combustível, que frear de maneira brusca força o sistema de freio, aumentando o desgaste, e que as acelerações repentinas também aumentam o consumo de combustível. Portanto, procure frear e acelerar sempre de maneira gradativa.

Tomando as medidas da direção econômica você pode reduzir em até 10% o consumo de combustível e ainda melhora as condições de trabalho do caminhão, reduzindo a necessidade de reparos e tornando mais eficiente as manutenções.

Economia pessoal

No plano pessoal, o caminhoneiro também deve estar sempre atento para o planejamento, sobretudo considerando as variações de ganhos que podem existir na atividade, em função da maior ou menor disponibilidade de fretes. Portanto, é fundamental que as despesas pessoais e familiares permaneçam compatíveis com o rendimento que a atividade oferece. Fazer um planejamento detalhado das despesas pessoais e com a família é o segredo de quem quer encontrar os meios para economizar.

Para manter um controle adequado das finanças pessoais, da mesma forma que faz com o caminhão, é preciso que você faça as previsões de gastos e mantenha uma reserva para os imprevistos. Procure fazer este planejamento de maneira cuidadosa e preste muita atenção para jamais confundir o que está relacionado com as finanças pessoais daquilo que diz respeito às finanças do caminhão.

Manutenção de caminhões

Da mesma forma que o seu organismo pede aqueles cuidados que vimos quando o assunto era a sua saúde, o caminhão também requer manutenção, que é essencial, tanto para prolongar a vida útil do veículo quando para garantir que você rode com segurança e com boa capacidade para atender aos fretes e para ganhar dinheiro.

Afinal, sem manutenção, mais dia, menos dia, seu caminhão pode quebrar e causar um acidente ou, na melhor das hipóteses, interromper uma viagem e fazer com que fique parado por dias a fio — o que significa prejuízo na certa. Valendo lembrar que essa parada pode acontecer em um lugar perigoso da estrada, onde os bandidos costumam agir.

Portanto, para preservar o seu investimento na compra do caminhão, o seu patrimônio, a sua segurança e a sua capacidade de trabalho, como em qualquer caso, é sempre melhor prevenir do que remediar.

Porém, mesmo conhecendo esse velho ditado, alguns caminhoneiros mantêm o raciocínio errado de querer exigir o máximo do caminhão, sem manutenções, na expectativa de que o dinheiro ganho com os contratos no período seja suficiente para garantir o lucro e o reparo do veículo, que será obrigatório, quando acontecer a inevitável quebra.

Mais prevenidos, mas não totalmente seguros, existem aqueles caminhoneiros que recorrem aos famosos mecânicos de confiança. Por mais sérios que esses profissionais sejam, nem sempre são profissionais qualificados para trabalharem de maneira correta na mecânica dos caminhões modernos, que possuem muita tecnologia embarcada. Muitas vezes eles não têm os equipamentos necessários para fazer um monitoramento adequado dos veículos.

Por outro lado, agindo de acordo com a realidade da tecnologia atual e com as exigências de mercado, existe a possibilidade de recorrer aos contratos ofertados pelos fabricantes, que preveem a manutenção periódica do veículo. Mesmo com a possibilidade de significar um custo aparente maior, esta é uma solução bastante interessante graças aos benefícios que oferece.

Os contratos com as autorizadas garantem que as manutenções serão feitas de acordo com os critérios de fábrica e que, havendo necessidade de reposição de peças, pode ser feita com componentes originais.

Tudo isso, além de assegurar melhores resultados com a manutenção periódica, ainda agrega valor de revenda ao caminhão. Além disso, quando opta por esta solução, o caminhoneiro ganha tempo, não tendo que se preocupar com orçamentos, e consegue prever a despesa que terá com a manutenção programada. Prever quando a manutenção será feita também permite que você planeje as interrupções no frete e que não seja tomado por surpresas desagradáveis, que sempre significam dores de cabeça.

De qualquer forma, seja por meio de uma oficina não credenciada pelo fabricante, seja a partir de um contrato de manutenção autorizado pela fábrica, você deve ter a consciência de que a manutenção preventiva evita problemas que gerariam riscos de acidentes e gastos maiores com reparos.

Ainda, é importante salientar que a manutenção preventiva não se restringe à troca de óleo e de filtros. Também é preciso verificar pneus, freios, suspensão, motor, conjunto de reboque, entre outros sistemas, e fazer uma série de regulagens essenciais para o bom funcionamento do seu caminhão.

Para você ter uma ideia do quanto a manutenção é importante, vale lembrar alguns exemplos:

  • Como o dos freios bem regulados, que melhoraram a eficiência da frenagem, o que diminui o risco de acidentes e reduz o desgaste das lonas e de todo o conjunto, aumentando a vida útil do sistema, melhorando o rendimento e evitando prejuízos;

  • Ou o do terminal de direção que, quando bem ajustado, evita que os pneus se desgastem prematuramente e aumenta a durabilidade dos rolamentos;

  • Podemos também chamar a atenção para as válvulas que, estando bem reguladas, melhoram o desempenho do motor e reduzem o consumo de combustível.

Tudo isso quer dizer que a manutenção adequada, realizada por profissionais treinados especificamente para o tipo de mecânica sobre a qual atuam, no final das contas, não representa despesa maior. Pelo contrário: significa economia, considerando que aumenta o valor de revenda do caminhão, evita prejuízos com paradas e reparos, diminui o risco de acidentes, torna a direção mais confortável e permite maior produtividade do caminhão.

Conclusão

Como foi visto, para seguir uma profissão tão importante como é a de caminhoneiro e, mais do que isso, obter sucesso com ela, é preciso haver um planejamento detalhado, que deve ser feito considerando a série de recomendações que passamos neste guia. Você deve ter notado que todas as recomendações estão conectadas entre si.

Afinal, o caminhoneiro que cuida da própria saúde tem melhores condições de rodar, o que torna a sua direção mais segura e produtiva. Ao mesmo tempo, quando ele cuida da manutenção adequada do caminhão também roda mais seguro e produz mais. Da mesma forma, ao assumir uma direção defensiva e econômica, ele diminui os riscos e o consumo de combustível, evita o desgaste excessivo do caminhão e, como consequência, melhora a rentabilidade dos fretes.

Ou seja, a manutenção da sua saúde, a atenção com a segurança nas estradas, os cuidados com as finanças e com a manutenção do seu caminhão são questões fundamentais que devem merecer a sua atenção permanente, uma vez que são elas as responsáveis pelo bom desempenho da sua profissão.

Normalmente, estes cuidados são tomados pelo caminhoneiro que é consciente da responsabilidade da profissão e que está apto a exercê-la de maneira produtiva para si mesmo, para a própria família e para a sociedade. Esse profissional é aquele que sabe que pode fazer de melhor e que sabe que para fazer o melhor deve se cercar também do que há de mais avançado em termos de tecnologia disponível no mercado.

É por isso que, como conclusão deste guia, passamos a você uma recomendação final que certamente contribuirá, e muito, para que você tenha facilidade para cuidar de todos os aspectos que vimos neste guia. Quando for comprar o seu próximo caminhão, procure combinar em um único veículo o máximo que for possível reunir em termos de conforto, dirigibilidade, segurança, desempenho e economia, buscando também um caminhão que tenha assegurada uma rede de assistência técnica que seja capaz de lhe oferecer as melhores condições de manutenção.

Assim, você poderá exercer com tranquilidade e produtividade a profissão que você escolheu e que movimenta a grandeza do Brasil.

Deixe um comentário